Inovação em Comunicação e Economia Criativa

O Mestrado Profissional Inovação em Comunicação e Economia Criativa visa trazer o suporte conceitual e metodológico à criatividade necessária em tempos de mutação social, cultural, tecnológica, educacional e econômica e abrir possibilidades de aplicação prática de propostas inovadoras, imprescindíveis aos processos comunicacionais do setor da economia criativa.

 

CTAs_pós-01

 

 

 

 

Sobre o programa

O Programa de Mestrado Profissional Inovação em Comunicação e Economia Criativa é o primeiro e único mestrado profissional em comunicação no Centro-Oeste. Ele foi criado para atender à alta demanda existente na área da Economia Criativa, em articulação com os saberes comunicacionais, especialmente aqueles vinculados ao desenvolvimento das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) e dos meios digitais aos quais a economia criativa está diretamente relacionada.

O mestrado profissional é uma modalidade que promove o necessário diálogo da Universidade com o mercado de trabalho e amplia as possibilidades de atuação profissional ao estimular a produção técnica aliada à produção intelectual em diversos segmentos ligados tanto à comunicação e às artes (publicidade, rádio e TV, audiovisual, fotografia, design, editoração, música, moda, poesia) quanto ao empreendedorismo, à governança e à gestão da comunicação nos setores público, privado e no terceiro setor.

O Mestrado Profissional Inovação em Comunicação e Economia Criativa da UCB é reconhecido com conceito 4 pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), o que qualifica o curso com reconhecimento acadêmico.

O Mestrado Profissional Inovação em Comunicação e Economia Criativa significa remeter-se a processos de criação do novo, tanto quanto de renovação daquilo que se torna desgastado pelo efeito do tempo e já não mais adaptado à nova realidade.

A revolução digital ocorrida nas últimas décadas, as constantes inovações tecnológicas às quais a cultura está sujeita e por meio das quais ela se recria, em um processo dinâmico aparentemente infindável, força a transformação das estruturas de pensamento que fundamentam os modelos de organização social, cultural, econômicos e toda a criatividade subsequente. Sendo assim, e levando em conta o contexto comunicacional, é preciso criar condições para a emergência do novo e do renovado. Isto é o que entendemos aqui por inovação comunicacional, diretamente ligado ao progresso tecnológico, mas não restrito a ele.

Trata-se de estruturas do pensamento e da sensibilidade, de modos de concepção e percepção, de modos de autorreflexão e autoavaliação que precisam ser despertados e podem impulsionar a realidade da própria Comunicação enquanto fenômeno, enquanto sistemas e processos e também enquanto área de atuação profissional.

A relação dinâmica que ora se estabelece, conceitualmente e na prática, entre produção cultural e economia, é portadora de novas perspectivas para os futuros profissionais da comunicação, envolvidos de maneira central na rede de agentes de uma lógica econômica que necessita se manter a serviço da humanidade e, consequentemente, da cultura. Sendo assim, a presente área de concentração visa a trazer o suporte teórico, conceitual e metodológico à criatividade necessária em tempos de mutação social, cultural, tecnológica, educacional e econômica e abrir possibilidades de aplicação prática de propostas inovadoras, imprescindíveis aos processos comunicacionais do setor da economia criativa.

Área de Concentração

Tratar de inovação em Comunicação significa remeter-se a processos de criação do novo tanto quanto de renovação daquilo que se torna desgastado pelo efeito do tempo e já não mais adaptado à nova realidade. A revolução digital ocorrida nas últimas décadas, as constantes inovações tecnológicas às quais a cultura está sujeita e através das quais ela se recria, em um processo dinâmico aparentemente infindável, força a transformação das estruturas de pensamento que fundamentam os modelos de organização social, cultural, econômicos e toda a criatividade subsequente. Sendo assim, e levando em conta o contexto comunicacional, é preciso criar condições para a emergência do novo e do renovado. Isto é o que entendemos aqui por inovação comunicacional, diretamente ligado ao progresso tecnológico, mas não restrito a este. Trata-se de estruturas do pensamento e da sensibilidade, de modos de concepção e percepção, de modos de auto-reflexão e auto-avaliação que precisam ser despertados e podem impulsionar a realidade da própria Comunicação enquanto fenômeno, enquanto sistemas e processos e também enquanto área de atuação professional.

A relação dinâmica que ora se estabelece, conceitualmente e na prática, entre produção cultural e economia é portadora de novas perspectivas para os futuros profissionais da comunicação, envolvidos de maneira central na rede de agentes de uma lógica econômica que necessita se manter a serviço da humanidade e, consequentemente, da cultura. Sendo assim, a presente área de concentração visa a trazer o suporte teórico, conceitual e metodológico à criatividade necessária em tempos de mutação social, cultural, tecnológica, educacional e econômica e abrir possibilidades de aplicação prática de propostas inovadoras, imprescindíveis aos processos comunicacionais do setor da economia criativa.

Docentes, matriz curricular e maiores informações

Confira em nosso portal a lista de docentes, matriz curricular, projetos de pesquisa, dissertações defendidas e outras informações sobre o programa.

Conceito 4
Integral
2 anos
24x R$ 2132,47
(61) 3356-9104
CTAs_pós-03

Aluno Regular

CTAs_pós-04

Processo Seletivo

Para cursar como aluno regular, é necessário passar por um Processo Seletivo que ocorre uma vez por ano, no segundo semestre. Os aprovados iniciarão os estudos no primeiro semestre do ano seguinte.

 

Edital Vagas Remanescentes


 

Alunos especiais podem solicitar matrícula em qualquer disciplina (exceto as de Metodologia da Pesquisa e Projeto de Dissertação), e poderão cursar nesta modalidade um total de cinco disciplinas. A seleção para alunos especiais é simplificada: somente análise de currículo e histórico escolar, e está condicionada à existência de vagas em cada disciplina.

Deve ficar claro, no entanto, que não é possível concluir o Mestrado ou o Doutorado como aluno especial. Para isto, é necessário passar na seleção e tornar-se regular. A maioria dos nossos alunos geralmente começa como aluno especial e depois se torna regular. Ao passar na seleção, os créditos cursados como aluno especial, desde que tenham sido obtidos nos últimos 3 (três) anos antes da data do requerimento, serão aproveitados.

 

Edital


 

Linhas de Pesquisa

Esta linha de pesquisa visa a investigar estratégias de empreendedorismo, governança e gestão da comunicação no campo da economia criativa propondo, desse modo, uma formação profissional a partir da gestão comunicacional de iniciativas da economia criativa (projetos culturais, design, gestão de negócios e produção nos setores das indústrias criativas ligados à comunicação em suas interfaces com as tecnologias, a educação e a cultura). Atividades como a publicidade e propaganda, o jornalismo e a gestão da comunicação integrada são estudadas no contexto dessas iniciativas. Considerando as interfaces da economia criativa com os demais setores da economia são pensadas estratégias de empreendedorismo, governança e gestão nos setores público, privado e no terceiro setor. Startups, economia virtual, captação de recursos, isenção fiscal, fundos, parcerias público-privadas, monetização e outras possibilidades são trabalhadas como processos contemporâneos de economia criativa.

Esta linha de pesquisa visa a desenvolver projetos e metodologias de inovação tecnológica e criativa para a Comunicação e suas interações com o design, a arte, a educação e a cultura, atuando assim na formação de profissionais capacitados para a produção contemporânea de imagens e suas diversas aplicações em áreas e modelos midiáticos distintos. São pensados processos de produção criativa em audiovisual não apenas para mídias tradicionais como fotografia, cinema, TV e rádio, mas também práticas intermediais contemporâneas. Assim, os produtos variam desde a criação de videocasts, podcasts, webdocumentários, videoarte, ações em social media e games, até chegar a especificidades da produção como direção de fotografia, montagem, pós-produção, imagens geradas por computador, direção de arte. Estas produções podem ser aplicadas tanto a áreas específicas do meio cultural quanto a de outros setores (vídeos institucionais, campanhas publicitárias, ações transmídia, videoaulas), deixando o egresso pronto para atuar na imensa diversidade de afunilamentos destas competências.

LABORATÓRIO 

A estrutura dos laboratórios de inovação da UCB foi idealizada para inspirar a interdisciplinariedade e a construção de um conhecimento significativo para os envolvidos. O espaço é adequado para pesquisa, compartilhamento de ideias e debates. O ambiente propício motivado pelas atividades diferenciadas propostas constitui um diferencial que a UCB consolidou neste curso com uma experiência de 21 anos.

Ficou alguma dúvida?

Deixe seus dados e entraremos em contato.